Qual é a Melhor Ferramenta de BI? Por Diego Elias

Dia após dia vemos grandes discussões sobre as ferramentas de BI / Analytics do mercado. São comparativos, debates, listagem de recursos, conceitos sofisticados e um aparato de coisas que realmente nos deixam bastantes interessados e sedentos por já possuí-las para o nosso negócio.

A “ferramenta” é um instrumento que, como o próprio nome sugere, faz parte de um conjunto maior que auxilia na operacionalização de uma solução. Quando a ferramenta vem antes da concepção da solução, podemos criar abismos entre o que o negócio realmente quer e o que será oferecido. Dessa forma teríamos um problema claro de inversão de propósito.

É preocupante a percepção de que soluções de BI devem ser baseadas apenas em rankings. Os players do mercado fazem estardalhaço sobre as empresas, no intuito de direcionar as atenções não para o problema real, mas sim para o que elas oferecem.

 

A grande “miragem” nessa perspectiva é que a ferramenta passa a impor sua solução para o problema, onde na verdade o problema é quem deve optar por uma solução aderente a real necessidade do negócio. Essa “miopia” vem causando altos investimentos às empresas sem que isso necessariamente traga um retorno à elas.

 

No artigo O que o negócio realmente espera do BI, há uma afirmação onde falo que a tecnologia está para apoiar o negócio, e não o contrário. E isso, por mais óbvio que pareça, não é uma abordagem adotada por muitas empresas.

 

Mas então, os rankings não são úteis? A resposta é: claro que são. Na falta de um entendimento sólido sobre as tecnologias candidatas para auxiliar a tomada de decisão, qualquer informação é válida para se elaborar opiniões e iniciar uma discussão sobre aspectos oferecidos pelas plataformas em vista as exigências do negócio.

 

Além das comparações realizadas por instituições como a Gartner, temos rankings disponibilizados por sites como BI Survey e G2 Crowd. É importante também analisar os roadmaps dessas plataformas, para verificar se a trilha traçada do produto leva a um caminho almejado pelo negócio.

 

A estratégia corporativa direciona as estratégias de BI e Analytics, sendo que este último habilita a estratégia corporativa a conduzir toda a organização. Daí podemos perceber a grande importância em se dar o primeiro passo corretamente, respondendo da melhor forma a seguinte pergunta: “Qual é a ferramenta que corresponderá de forma mais efetiva ao negócio, ajudando-nos a chegar nos objetivos estratégicos estabelecidos pela empresa?”

Portanto, as empresas devem focar no que realmente irão ajudá-las na tomada de decisão. O importante é entender que ferramentas vêm e vão, tendo o papel fundamental de apoiar as necessidades informacionais da organização. O processo de escolha não é trivial, porém decisiva na condução da organização para o alcance de resultados. É essencial a capacidade de analisar de forma crítica cada tecnologia, verificando qual a solução que melhor se adeque a estratégia da empresa. Logo, não existe a melhor ou pior ferramenta de BI, e sim aquela que melhor se adapta as necessidades do negócio.

​Continue acompanhando as novidades e artigos do BI NA PRÁTICA. Para isso basta se inscrever AQUI. Aproveite também e veja os outros artigos na seção ARTIGOS. Precisa de ajuda? Por favor, entre em CONTATO.

Até o próximo artigo!

© Copyright 2019 - Todos os direitos reservados.