Indicadores de Desempenho - Uma Questão de Foco Por Diego Elias

Os indicadores de desempenho são instrumentos essenciais no acompanhamento dos principais processos dentro das organizações, e grandes pilares na busca por resultados. Muitas empresas esperam ansiosamente em ter diversos indicadores em dashboards com visuais encantadores, para poderem monitorar as suas atividades. Porém mais do que tê-los, elas precisam compreendê-los.

 

O grande problema quando falamos em Indicadores ou Key Performance Indicator (KPI) é que nem sempre medimos o que é de fato relevante. A medição tem que levar em conta os processos mais importantes, aqueles que a empresa gera seus resultados, e que sem eles não sobrevive. E essa não é uma tarefa trivial.

A “distração” de dados nas organizações passa por problemas de cultura, governança e estratégia. Muitas organizações, por exemplo, ainda continuam em insistir em colocar dentro de suas bases, dados das mais variadas fontes e tamanhos, sem antes alinhar tais ações com os objetivos estratégicos. É a velha história do “quanto mais, melhor”, mas não é bem assim que deveria ser.

O principal indício de que as empresas sofrem da “obesidade” de dados é a falta de foco. Sem foco os indicadores podem nos levar a caminho divergentes dos objetivos e metas já traçadas. Caímos no desejo de medir tudo, sem se importar no que realmente agregam resultados dentro do negócio.

 

Por outro lado, muitas organizações focam suas decisões apenas em indicadores financeiros, que acabam por negligenciar outros aspectos de grande relevância para a obtenção de diferencial competitivo e resultados mais consistentes.

 

Com a definição dos indicadores certos (disponibilizados no tempo certo e para as pessoas certas) necessitamos transpor o próximo desafio: precisamos saber tornar insights em ações de negócio, ou seja, sair da inércia. Não basta ter apenas um dashboard com lindos gráficos e indicadores. Se não soubermos contextualizá-los e torná-los em ações efetivas, de nada servirá. A informação tem que gerar sinergia e atitudes em prol da eficiência organizacional. E dados sem propósitos não geram valor.


Logo, para que uma modelagem de indicadores seja de fato eficiente é necessário o desdobramento do planejamento empresarial, entendimento dos níveis de decisão dentro da organização, além de análise da relação entre causa e efeito dos outputs observados. Com o devido planejamento, os indicadores tendem a apoiar efetivamente o negócio, além de transformar a cultura organizacional para obtenção de resultados concretos. Caso contrário, podemos estar diante de uma grande ilusão.

Cadastre-se agora mesmo e continue acompanhando os próximos artigos! Inscreva-se AQUIVeja outros artigos na seção ARTIGOS. Qualquer dúvida ou comentário, utilize a área de CONTATO.

 

Até mais!

© Copyright 2019 - Todos os direitos reservados.